Entre os dias 11 e 15 de maio, a PRF e o Ibama (Instituto Brasileiro de Meio Ambiente) realizaram em conjunto - no Estado de São Paulo - a Operação Atmosfera. Executada em caráter “piloto”, a ação teve como objetivo a fiscalização do uso do ARLA-32, produto utilizado pelos caminhões produzidos no Brasil a partir de janeiro de 2012, para atender a legislação do Conselho Nacional do Meio Ambiente (CONAMA) para reduzir as emissões de gases poluentes.

O produto é usado no motor diesel com o sistema SCR (Selective Catalytic Reduction – Redução Catalítica Seletiva, em português), sistema de catalisação de poluentes para redução de emissões de gases tóxicos. Esses gases são originários do nitrogênio presente no óleo diesel, os quais contaminam a atmosfera e provocam uma série de efeitos prejudiciais tanto ao meio ambiente quanto ao homem. O Arla-32, produto composto por água desmineralizada e ureia, é necessário no sistema para transformar os gases produzidos pela combustão do diesel nitrogênio atmosférico e água.

No entanto, para reduzir o custo da operação de transporte o ARLA-32 tem sido adulterado e esta prática é crime pela legislação ambiental vigente. A intenção da Operação Atmosfera é espalhar a metodologia para todo o País.

A operação teve como objetivo verificar a utilização de emulador ou “chip” para burlar o uso do ARLA 32 e identificar possíveis fraudes do produto para a redução do custo da operação de transporte. Os agentes da PRF e do Ibama fiscalizaram 250 veículos nas cidades de São José do Rio Preto (Rodovia Transbrasiliana), Itapecerica da Serra (Régis Bittencourt) e Guarulhos (Dutra).

Durante a ação – que abrangeu a fiscalização de outros itens do caminhão – foram identificados 18 Autos de Infração Ambiental por causar poluição, totalizando cerca de R$ 60.000,00; 22 boletins de ocorrência policial de transporte de produtos perigosos; 38 multas PRF (alteração de características originais), que totalizaram cerca de R$ 5.000,00; 18 Autos de Infração por transporte irregular de produtos perigosos, totalizando cerca de R$ 27.000,00; apreensão de 34 toneladas de alimento sendo transportadas em tanque destinado ao transporte de produtos perigosos e 17 caminhões apreendidos.